crônica: a tristeza de um palhaço

Publicado: julho 3, 2007 em crônica

Ali na esquina tinha um grupo de crianças. Pulando, cantando, gritando, se divertindo. Crianças alegres. Crianças que não paravam de rir. O motivo de tantas gargalhadas era um senhor de cabelos brancos. Não. Cabelos brancos não. Cabelos azuis. Azuis, vermelhos e amarelos. As pessoas que passavam perto olhavam com ternura. Outras passavam sorrindo. Realmente, tinha uma aparência engraçada pra quem via de longe. Um senhor baixinho, gordinho. Um senhor branquelo. Mas não era um senhor qualquer. Era um senhor fantasiado. Sim, pois com cabelos azuis, vermelhos e amarelos não poderia ser alguém comum. O senhor tinha tinta borrada nas têmporas. Como se ele mesmo tivesse feito a maquiagem. Maquiagem? Sim, gente. Maquiagem. Maquiagem branca. Exagerada. Era um senhor com um semblante carregado. Não, não vamos mais chamar o senhor de senhor. Vamos chamá-lo de palhaço. Então, o palhaço tinha o semblante carregado. Mas uma maquiagem que radiava alegria. Um grande nariz com uma grande boca sempre sorrindo. Com grandes olhos e cheio de truques. Truques que as crianças adoravam.

Mas o que ninguém sabia era quem era o senhor. Ah, mas eu disse que ia chamá-lo de palhaço. Tá. Mas o que ninguém sabia era quem era o palhaço. Mas eu sei quem era o palhaço. Era um órfão. Não um órfão sem pai nem mãe. Sem lenço sem documento. Sem eira nem beira, nem ramo de figueira. Mas um órfão de sentimentos. De bons sentimentos. Quando jovem arrancaram-lhe toda sua alegria. Toda sua esperança e fé. Todo seu amor. Arrancaram-lhe também sua inocência. No começo o ódio foi seu aliado. Sua força para viver. Mas depois a raiva passou. Restou-lhe apenas a conformidade. A indiferença. Não se faz necessário dizer como o jovem-senhor-palhaço perdeu tudo na sua vida. É uma estória muito triste. Tão triste e tão longa que não caberia nesse espaço. E ao ler toda essa estória, não restaria uma só pessoa nesse mundo que não se acabasse em lágrimas.

Voltemos ao presente. Lá estava o palhaço. Fazendo as crianças sorrirem. Fazendo os adultos sorrirem. Lá estava o palhaço. Incapaz de sorrir verdadeiramente. Incapaz de sonhar. Lá estava o palhaço pulando e cantando. Sorrindo e fazendo os outros sorrirem. Como é triste aquele palhaço. Como é engraçado ver as pessoas não notarem a tristeza daquele palhaço. Não. Não é engraçado. É triste. Triste desse palhaço que precisa se maquiar para sorrir.

Creative Commons License
crônica: a tristeza de um palhaço by Rafael Calheiros is licensed under a Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil License.

About these ads
comentários
  1. adorei naa verdade todo palhaço é triste sim eu sei pq sou um e minha estoria é meio igual a essa.
    parabens !!!!

  2. pixoxo disse:

    Gostei do “é a hipocrisia se propagando digitalmente”. Realmente, é bem assim mesmo!!

    Muito bom o texto sobre o palhaço! Eu acho os palhaços meio deprimentes mesmo (que comentário tosco).

    beijos!

  3. Carlos W. Hellsing disse:

    muito bom o texto, adorei, me lembra uma frase q ouvi uma vez e fico na cabeça:” por traz da máscara de um palhaço existe um homem triste”
    acho a mais pura verdade…
    ^^

  4. Mao disse:

    na boa, conheci muitos palhaços que eram tão palhaços vestidos ou não, nada de tristes
    conheci inclusive uma familia toda de palhaços muito alegres

    toh achando que por ai só passou os chamados circo de pulgas

    esse palhaço tristes que falam somos nós, os brasileiros, em meio essa grande piada que é nosso governo

  5. Rayza disse:

    Me identifique com essa crônica , nesses dias me sinto meio assim sorri pras pessoas mais um sorrisso falso . E ninguém percebe a minha tristeza , nao uso maquiagem mais também tenho uma mascara como a do palhaço .

  6. Wesley disse:

    Sinceramente me emocionei com o texto, muito lindo mesmo, estava a procura de figura de palhaços tristes, e acabei achando essa crônica.

    parabéns está muito linda

    Wesley Diogenes
    Rio Branco – Acre

  7. Anita disse:

    Isso é algo que todos temos no fundo dentro de nós mesmos…
    medo de realmente Sorrir

  8. marilia disse:

    Achei o texto de uma poesia tocante, gostei mto. Apesar do tema ser verdadeiro e triste. Vou postar no meu blog. Obrigada.

  9. tomas disse:

    quem e o autor desta cronica?

  10. Eva Maria Fraga da Rocha disse:

    achei super interessante, amo crônicas!

  11. Eva Maria Fraga da Rocha disse:

    Achei ótimo e super interessante .Apesar de ser bem triste!

  12. Joselia Fontinelly disse:

    emocionante cronica!
    paresce comigo”que tou quanse a mim afogar em um mar
    de tristezas! talvez um dia passe ou talvez só almente essa tristeza que mim envade a alma!
    (joselia fontinelly)

  13. Higor Thárlles disse:

    ‘ Quem conheçe um sorriso de VERDADE, sabe que nem todo PALHAÇO É FELIZ =/ ‘

    isso sim é a realidade !

  14. Felipe disse:

    Sem querer vim parar aqui, e esta crônica é muito boa.
    È o que acontece com muitas pessoas hoje em dia, não são felizes por dentro, e necessitam de “maquiagem” para sorrir.

  15. jucelino disse:

    as vezes quando eu to triste fico lendo. varias e varias vezes o texto e penso o por que de tudo isso acontecer mais agora eu sei. O porque da maquiagem para esconder o rosto não tenho coragem de mostrar meu verdadeiro eu

  16. sabrina nunes rafael disse:

    muito bom o texto, adorei, me lembra uma frase q ouvi uma vez e fico na cabeça:” por traz da máscara de um palhaço existe um homem triste”
    acho a mais pura verdade…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s