resenha: ilha das flores

Publicado: agosto 11, 2007 em resenha

Rafael Calheiros
Resenha do curta-metragem Ilha das Flores

O documentário “Ilha das Flores”, de Jorge Furtado produzido em 1989, é de uma rara profundidade que exprime toda a banalização a que foi submetida o ser humano, por mais racional que este seja. Um ácido retrato da mecânica da sociedade de consumo. Acompanhando a trajetória de um simples tomate, desde a plantação até ser jogado fora, o curta escancara o processo de geração de riqueza e as desigualdades que surgem no meio do caminho. A lamentável condição de sub-existência dos habitantes da Ilha das Flores deixa as pessoas pasmas. A idéia do curta-metragem é mostrar o absurdo desta situação. Seres humanos que, numa escala de prioridade, estão depois dos porcos. Mulheres e crianças que, num tempo determinado de cinco minutos, garantem na sobra dos porcos (que por sua vez, alimentam-se da sobra de outros seres humanos com condições financeiras de escolher o alimento) sua alimentação diária.

A obra Ilha das Flores é rica em informações reais (às vezes chega a ter um caráter didático), e ao mesmo tempo, segue a trajetória fictícia de um tomate: plantado, colhido, vendido a um supermercado, comprado por uma dona-de-casa, rejeitado na hora de fazer um molho para o almoço, jogado no lixo, levado para a Ilha das Flores, rejeitado pelos porcos, e finalmente, encontrado por uma criança com fome.

A desigualdade social e toda perversidade de um sistema são provocadas justamente por seres humanos que procuram viver em seus casulos de forma egocêntrica e egoísta, fingindo não ver a realidade da exploração do homem sobre o homem, esquecendo-se da solidariedade e afeto entre seus semelhantes. Daí a afirmação no início do curta da não-existência de Deus. Infelizmente, explorar a miséria humana faz parte desse sistema, faz parte do “progresso natural da sociedade”. Uma prova disso é que o diretor não precisava ir tão longe para ver a crueldade e a miséria do homem, bastava colocar uma câmera em sua janela de casa.

A noção de progresso é o anteparo usado pelo filme para estabelecer propositalmente uma relação insolúvel na sociedade capitalista. A capacidade criativa e o decorrente progresso são conjugados com os diversos aspectos que envolvem a vida em sociedade. O lixo é capaz de unir- e não separar como normalmente – a “parte limpa” com a “parte suja” do filme. Logo, confirma-se uma incompatibilidade entre progresso e desenvolvimento humano. O espectador sente o sabor da simples profundidade sugerida pelo filme. É uma provocação ao raciocínio social imediato, à propriedade privada, ao lucro, ao trabalho, à exploração, à relação entre progresso criativo e, conseqüentemente, tecnológico (criação e evolução estão intimamente ligados) e ao desenvolvimento social e humano. Passados quase vinte anos após a sua produção, o curta ainda é bastante atual. O documentário é narrado pelo ator Paulo José e foi aclamado pela crítica, vencendo vários prêmios.

Creative Commons License
resenha: ilha das flores by Rafael Calheiros is licensed under a Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil License.

About these ads
comentários
  1. Teonilia Souza disse:

    O documentário “Ilha das Flores”, de Jorge Furtado, produzido em 1989, começa mostrando a trajetória de um tomate.
    Estudamos sobre o progresso que ocorre no mundo com a revolução industrial e ao assistirmos este filme ficamos perplexos com o egoísmo, a ganância e a falta de solidariedade e amor ao próximo. Por falta de amor ao próximo é que o diretor do filme diz que “Deus não existe”. Fica claro no filme a perversidade de um sistema que cada vez mais aprofunda as desigualdades e injustiças sociais.
    Tudo começa com um produtor de tomates que colhe toneladas de tomates, que se transformam em molhos, que são vendidos no supermercado e muitas pessoas compram esses tomates e uma delas é uma mulher que revende perfumes. Desses tomates comprados com o dinheiro do lucro pela revenda de perfumes, um tomate considerado impróprio para consumo de sua família, vai para o lixo e depois para o lixão. No lixão há porcos que comem o lixo. Esse lixão, fica numa cidade de Porto Alegre, onde moram pessoas que são muito pobres e por isso têm que catar comida do lixo. Elas têm cinco minutos para catar a comida do lixo.
    Entravam em grupo de dez pessoas para conseguir pegar o resto deixado pelos porcos. O que inclui o tomate, que servirá de alimento para uma criança faminta. Isso porque os porcos comiam o lixo antes das pessoas. Por mais racional que seja o ser humano os porcos têm prioridade na hora de alimentar-se. Para chamar atenção sobre o risco que as pessoas correm ao comer o alimento retirado do lixão o autor relembra o césio encontrado na cidade de Goiânia que contaminou várias pessoas resultando em sérias conseqüências para a saúde das mesmas.
    Isso acontece porque alguns de nós somos egoístas, não sabemos dividir o que temos, se soubéssemos, hoje as pessoas da “Ilha das Flores” e todo o resto das pessoas que dependem do lixo, não estariam nessa situação humilhante.
    Trata-se de uma dura e real situação vivida por muitos brasileiros e pessoas em vários lugares do mundo.

    Turma 803 – Colégio Estadual Dr Artur Vargas – Angra dos Reis

    • jasinta disse:

      oi a sua resposta foi bem legal sou uma pessoa que tambem nao gosta de ver os outros catando comida do lixo

      • neri disse:

        eu gostei de ver o filme pelo pc porque fala muita coisa que t
        od
        o mundo
        pode aprender que n~~~~~~~~~~~~~ã pode jogar comida fora pq tem ge
        mte
        que
        não
        tem
        nada

        pra
        c
        o
        me
        r
        es pe
        ro qu
        e c
        o
        n
        c
        or
        d
        e
        v

        i

        u
        g
        e
        n
        t
        e

      • Joao disse:

        entao vc tem que ser afavor do bolsa familia (gracas ao bolsa os politicos nao desviao mais as sexta basica para os bolso deles ) e kaiu muito pessoas que vivem no lixao

      • Amanda disse:

        aai adorei esta resenha. me ajudou muito muito

  2. nininha disse:

    ….otima resenha….
    parabens !!!!

    gostei muito … e me ajudou
    muito tambem!!! … pois tambem tenho que fazer uma resenha do ilha das flores!…

    que por sinal é um otimo filme , adorei.. faz nós caimos na realidade… pois somos capacitados e temos o teléncefalo altamente desenvolvido, e um polegar opositor com movimentos de precisao para colocar um melhora em açao!

    adorei… ha é continue com esse seu genio maravilhoso… escreve coisas muito boas !!!!

  3. Kakashi Sensei disse:

    Kakashi Sensei é muito foda, mas um tal moleque chamado Sasuke se acha o foda mas ele não é foda é uma bixa

    • TAMIRES disse:

      realmente esse filme ilha das flores nos mostra a realidade dde algumas familias brasileiras. tambem mostra a falta de amor ao próximo.e não dizer q deus num existe ,ele existe e tem aamor por todos nós.mas é a falta de amor dos humanos q está pouca.

      • tati disse:

        muito bem concordo gostei muito fala bastante sobre a falta de amor sobre o proximo pode ser que alguem veja e sinta oque eles passam la……….xau

  4. jailson disse:

    me amarrei neese filme
    espetacular tenho nem mais o que diser

  5. Bárbara disse:

    Adoreeeeeeeii a resenha,
    principalmente pq estava precisando de uma ajudinha na minha resenha tbm! =)

  6. lucivania albuquerque campos disse:

    O documentário “Ilha das Flores”, de Jorge Furtado, produzido em 1989, exprime toda a banalização a que foi submetido o ser humano.
    O processo de geração de riqueza e as desigualdades que surgem no meio do caminho, geram o retrato da mecânica da sociedade de consumo.
    A desigualdade social e toda perversidade de um sistema são provocadas justamente por seres humanos que procuram viver em seus casulos de forma egocêntrica e egoísta, fingindo não ver a realidade da exploração do homem sobre o homem, esquecendo-se da solidariedade e afeto entre seus semelhantes.
    A busca pelo poder aquisitivo cega o homem, a ponto de não medir suas conseqüências que são devastadoras ao meio ambiente,seu territorio e ao próprio homem. Este burla leis e direitos de outrem em nome do capitalismo.lucivania

  7. ana carolina disse:

    parabéns, muito boa a sua resenha você sabe usar bem as palavras, e tbm me ajudou muito no meu trabalho ;)

  8. Felipe pedrosa disse:

    eu gostei muito dessa resnha pois estava preucupado como ia fazer um resumo de ilhas das flores e mim ajudou muito

  9. ingred disse:

    lindaa inkha das flores é realmenti linda!!!!!

  10. mariana disse:

    a ilha das flores e um terivel
    lugar onde as pessoas moram não sei se eles aguentam morar la no lugar desse

  11. Aline Krisan disse:

    Ilha das Flores é um curta-metragem dirigido por Jorge Furtado, que nasceu em Porto Alegre no dia 09 de Junho de 1969 e produzido pela Casa de Cinema de Porto Alegre em 1989.
    O documentário exibido pode nos causar vários efeitos de reações; o primeiro a ser considerado é a sátira, pois de fato não é comum assistirmos a história do nascimento e desenvolvimento de um tomate, bem como seu destino e finalidades. O segundo, e eu considero o mais importante, é a análise da realidade vivida por milhares de pessoas, não somente na Ilha das Flores, como Furtado cita em seu curta-metragem, mas o seu paralelo com outras situações, que presenciamos, na maioria das vezes apenas através dos meios de comunicação.
    Essa realidade vivia pelo ser humano é fruto de uma desigualdade socioeconômica, gerada basicamente pelo sistema capitalista empregado na sociedade; a triste condição de vida dos habitantes da Ilha das Flores deixa-nos perplexos, já que a idéia do filme é mostrar o absurdo dessa condição: pessoas que são menos valorizadas do que animais.
    O autor nos mostra de maneira explícita como o sistema econômico que vivemos contribui para a indiferença em relação à desigualdade social que presenciamos atualmente. Podemos analisar pelas diferentes classes sociais exibidas no filme, desde a dona de casa (vendedora de cosméticos), o fazendeiro, o criador de porcos e por fim os habitantes da Ilha das Flores, o que define sua opinião é que o que diferencia o ser humano é classe a qual ele pertence pelos bens que o mesmo possui.

  12. fernanda disse:

    adorei o comentario parabens

  13. MdHulk disse:

    Parabéns pela sua resenha,pois entá muito bem feita.

  14. Dores disse:

    Assisti o filme e confesso ter ficado chocada pela falta de consideração para com o ser humano. Pois os porcos tem melhor alimento e melhor condição de vida que os habitantes da Ilha das Flores. Quando alguem fala que há pessoas vivendo abaixo da linha de pobreza, parece até que não tem muito significado. Mas, neste curta, o Jorge Furtado explícita a realidade sem medir esforços. As vezes chega até a nos impressionar. Saber que que somos todos iguais em condição humana, pois nascemos do mesmo jeito, vivemos de modo diferente mas no entanto, morremos do mesmo jeito. Só não sabemos se diante de tanta indiferença, iremos para o mesmo lugaar após nossa permanência terrestre. Ao asistir o curta, fiquei me questionando: o que leva um ser humano a julgar-se superior aos demais por causa de sua condição social? Será que quem acha ter direitos que os posicione numa condição de status, imagina que tem na terra morada eterna? Se não sabemos como será o nosso amanhã, temos mesmo é que sermos solidários com nossos semelhantes, pois desta vida só levamos o bem que fazemos aos nossos irmãos e irmãs. O que construimos com nossa ganância: nossos bens, terras, carros, imóveis etc, deixamos tudo para trás. Ou achamos que nos será útil?

  15. alexander disse:

    sera que alguem pode me ajuda preciso de um resumo sobre esse filme
    meu email e esse buiadanike@hotmail.com preciso pra essa data 19/06/2011 obrigado

  16. bruna disse:

    O documentário, Ilha das Flores de Jorge Furtado, relatado em aproximadamente 12 minutos, nos trás uma grande problemática da atual sociedade de consumo, a riqueza e a desigualdade, o consumo diante do humanismo. Faz-nos refletir sobre situação em que se chegou a pessoa humana em busca de alimento, e diante da abundância que há nas prateleiras dos supermercados, estabelecido pelo sistema capitalista e hegemônico em que vivemos.

  17. Alvino Neto disse:

    Otimá resenha do filme ilhas das flores.
    Com essa resenha aproveito pra fazer um trabalho do colégio .

    weowoeuowueowouwou

    KIKIKIKI

    Tomara que meu professor nunca descubra .

    HAHAHA .
    Ai Como eu sou Malefico .

  18. Irisfanny disse:

    muito bom parabéns

  19. daniella sousa disse:

    adorei…estava mesmo precisando,pois estava bastante preocupada como ia fazer a minha…

  20. José disse:

    ótimo resumo

  21. fer disse:

    considerando todas as relacoes abordados no filme e possilidade de interpretacoes do mais diferente angulos,recomenda-se uma analise do ponto de vista interdisciplimar

  22. Jenoveva disse:

    eu achei uma coisa idiota muito chato

  23. ngmcghkjgyuj disse:

    naum sabe escrever kkk

  24. Roza disse:

    Gostei do resumo…. isso me ajudou a entender bastante, E a fazer o meu próprio, ^^

  25. Lama Sabactani disse:

    muito bom amei.

  26. É, enteresante o filme ilha das flores

  27. Natanael disse:

    Esse curta é tão lixo quanto o assunto do que se deu ao trabalho de tratar. Já sabemos, e não é de hoje, que há muitos no mundo afora que vivem em condições de extrema miséria. Só falar e mostrar isso não resolve. O autor critica claramente a crença em Deus e aos judeus, pois exatamente na hora em que fala da produtividade do japonês, da contribuição do rei da Lídia, Asia Menor, ao inventar a moeda, mostra a Cristo crucificado e os judeus sendo jogados aos milhares em valas, no evento conhecido como Holocausto. Experimente elogiar alguns, falar da produtividade de outros e mostrar desgraça de outro ao mesmo tempo…parece coincidência, mas não é. Se na Ilha das Flores tem muito lixo, então que os moradores organizem uma cooperativa de coleta e reciclagem de lixo, ficar chorando em cima do lixão não vai ajudar nada. Isso é o que diferencia seres humanos de outros animais, nossa capacidade de agir e mudar nosso próprio rumo, o Governo tem sua parcela de culpa, com certeza! mas não podemos ficar parados esperando que o governo aja, todos somos donos de nós mesmos. Parece que sou o único a perceber aspectos negativos nesse vídeo…mas com relação a isso eu digo: o acervo bibliográfico é igual ao tomate do vídeo, por mais podre que esteja sempre haverá alguem interessado nele.

  28. ola preciso de uma resenha deste filme mas, a que eu vi achei pequena será que é isso mesmo

  29. André disse:

    o documentario em si a principio nos deixa chocados com a história, mas dá pra tirar uma lição muito importante de tudo isso:
    tudo é reaproveitado, o que é lixo para uns pode não ser para outros, e tem muita gente que não valoriza o que tem em sua mesa, ou a cama onde dorme…

  30. Mariana disse:

    Valeuuuu salvou meu relatorio bj

  31. Danilo disse:

    é um filme que espreça o viver de pessoas pobres
    espreça o que elas vivem para poder viver mas um dia

  32. leticia disse:

    adorei o curta pois ele me ajudou muito a ver esse lado carente de nosso pais, e que as vezes fechamos os olhos para o problema achando que assim vai resolve-lo. E uma lastima um pais tao desenvolvido mas com tantas pessoas carentes.

  33. RHAFAEL CASSIMIRO SOARES disse:

    Muito obrigado,vc salvou meu relatório.

  34. helio carlos disse:

    porco tem que comer ok ? amis nos em primeiro lufar *-*

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s